quinta-feira, janeiro 20, 2005

Urgentemente

É urgente o Amor,
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros,
e a luz impura até doer.
É urgente o amor,
É urgente permanecer.

Eugénio de Andrade

4 comentários:

Isabel Magalhães disse...

Querida Magda;

Lindo o poema do Eugénio de Andrade. Excelente a tua escolha! :))

******* I.

AmigaTeatro disse...

Sem dúvida encantador, e nunca é demais ler "coisa" assim.

Um beijo aqui também... ;P*

pipetobacco disse...

{ ... naufrago em ilhas nunca antes visitadas © de[mente] ... }

Anastácio Neto disse...

excelente poema de uma grande poeta cá da "minha" aldeia. Trabalhou aqui quase ao lado da minha casa num cento de saúde, conhecido entre os colegas como o "Fontinhas"... Está muito doente, o escritor, no entanto, a sua poesia essa permanece bem e de boa saúde.